UNIPAZ

CULTURA DE PAZ NA EDUCAÇÃO: A Arte de Viver em Paz

A metodologia “A Arte de Viver em Paz” contribui para a desconstrução dos estereótipos da Cultura de Paz e impulsiona a busca por um aprendizado que potencializa um Círculo Virtuoso Construtivo, onde autenticidade, cooperação, empatia, compaixão e bem-estar comum florescem. Convidamos você a ser parte dessa jornada, porque, afinal, todo dia é uma oportunidade de cultivar a paz em nós e ao nosso redor.
Clique aqui para inscrever-se

CLIQUE AQUI PARA INSCREVER-SE

APRESENTAÇÃO

A Universidade Internacional da Paz – UNIPAZ/DF é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, declarada órgão de Utilidade Pública Federal, por Decreto do Presidente da República, publicado no Diário Oficial de 16 de Abril de 1997, e Decreto do Governo do Distrito Federal no. 11.203/88. Foi criada para desenvolver projetos específicos e inter relacionados à cultura de paz, alicerçada na visão holística e na abordagem transdisciplinar, conforme as diretrizes da Declaração de Veneza de 1986, Declaração de Brasília de 1987, Carta de Transdisciplinaridade de 1994, Carta Magna da Universidade Holística Internacional e do programa de educação “A Arte de Viver em Paz” de Pierre Weil, Menção Honrosa do prêmio UNESCO para a Educação para a Paz, em 2000 e do qual originou a Teoria Fundamental da UNIPAZ.

A UNIPAZ foi criada e instalada em Brasília em 1986 e hoje está multiplicada por unidades instaladas no Brasil no Aracaju/SE, Baixada Santista/SP, Boa Vista do Sul/RS, Brasília/DF, Chapecó/SC, Goiânia/GO, Belo Horizonte/MG, Curitiba/PR, Florianópolis/SC, Fortaleza/CE, Joinville/SC, Poços de Caldas/MG, Porto Velho/RO, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, São Paulo/SP, Uberlândia/MG, Vitória/ES, e em Lisboa, em Portugal.

Em toda unidade da UNIPAZ utiliza-se a pedagogia da cultura de paz desenvolvida por Pierre Weil e sua equipe, com base em documentos da ONU e da UNESCO. O programa tem sido aplicado em formações, em cursos e seminários abertos à participação de todos os interessados. No Brasil, o programa tem sido levado às instituições governamentais e escolas públicas e particulares de ensino fundamental, médio e superior. Pelo menos 20 mil brasileiros foram treinados para aplicação desse programa em suas comunidades.

MISSÃO E VISÃO

UNIPAZ é movimento de educação, cuidado e práticas integrativas para o despertar de uma consciência de inteireza, de onde emana a paz nas ecologias individual, social e ambiental, rumo à sustentabilidade com ética e respeito à vida.

A Visão da UNIPAZ é garantir e assegurar que até o ano 2.030, o século XXI será transdisciplinar holístico.

PRINCÍPIOS DA UNIPAZ

A UNIPAZ atua em aderência aos seguintes princípios:

I – Paradigma Transdisciplinar Holístico
Despertar uma nova consciência que integre o reconhecimento dos diversos níveis de realidade, a complexidade e a lógica do Terceiro Incluído;

II – Cultura de Paz
Alcançar uma cultura de paz no planeta em favor da plena expressão da vida e

III – Saúde e Plenitude
Conquistar saúde e plenitude por meio do despertar da plena atenção, integrando ao processo o amor, a ética do cuidado, a aceitação, a vocação e o serviço.

E acolhe os princípios dispostos nos seguintes documentos:

  1. Declaração de Veneza, 1986;
  2. Declaração de Brasília, 1987;
  3. Carta de Transdisciplinaridade, 1994;
  4. Carta Magna da Universidade Holística Internacional de Brasília, 1986;
  5.  Princípios Éticos da UNIPAZ;
  6. Teoria Fundamental da UNIPAZ e
  7. Carta da Internacional de Consciências, 2000
A VISÃO TRANSDISCIPLINAR HOLÍSTICA

O termo holística vem do grego holos, que significa Todo, Inteiro.

Com base nessa estrutura semântica, a holística pode ser definida como um novo paradigma que leva em consideração o todo, inclusive aqueles oriundos de outros paradigmas mais ortodoxos. Conforme definições aprovadas em encontros internacionais, inclusive da UNESCO, a visão holística é um novo conceito que evita a fragmentação do ser humano e de suas ações, o reducionismo e o totalitarismo. Isso implica em inter e transdisciplinaridade e no reencontro dialógico de Ciências, Artes, Filosofia e Tradições Espirituais.